Gastroenterologia

Homeopatia

Gineco e Obstetrícia

Interesse Geral

Dietas e Orientações

Parceiros

Banner

Desenvolvimento

Banner
PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 

A SUA DIGESTÃO – TIRE SUAS DÚVIDAS

Qual é a importância da mastigação para a digestão? Tem alguma outra função além de diminuir o tamanho dos alimentos?

 

 

 

Qual é a importância da mastigação para a digestão? Tem alguma outra função além de diminuir o tamanho dos alimentos?

 

A mastigação é muito importante para a digestão por vários fatores, além de reduzir o alimento a um tamanho apropriado para a deglutição. Primeiro porque à medida que o alimento se move na boca estimula as papilas gustativas e os odores liberados estimulam o epitélio olfatório, e muito da satisfação de comer deriva desses estímulos. A mastigação também faz com que a saliva seja secretada, misturando-se com o alimento, amaciando e lubrificando o bolo alimentar, facilitando a deglutição.

Qual é o número de vezes que se deve mastigar os alimentos para facilitar a digestão?

Mastigar os alimentos de cada garfada cerca de 20 a 30 vezes é o ideal. Além disso, só após 20 minutos de mastigação é que o cérebro libera a produção do PYY pelo intestino, hormônio responsável pela saciedade. A salivação é que é a responsável por essa liberação. Enquanto esse hormônio estiver circulando na corrente sanguínea nos sentimos saciados.

Ingerir líquidos durante as refeições de fato dificulta a digestão? Por quê?

Tomando líquidos durante a refeição a pessoa mastigará menos o alimento, já que estará lubrificado com o líquido e não com a saliva, atrapalhando a primeira fase da digestão dos carboidratos que ,mal digeridos ,irão predispor à formação de bactérias no intestino delgado, levando à formação de gases, além de diluir o ácido clorídrico do estômago, atrapalhando a digestão dos carboidratos e proteínas.


Até quanto tempo antes e quanto tempo após as refeições, portanto, é recomendável ingerir líquidos?

É discutível. O mais indicado é ingerir líquidos 10 minutos a 1 hora antes ou 1 hora a 2 horas após a refeição. Exceção nos casos em que tem que tomar medicação com a refeição e quem não tem salivação.

Que alimentos facilitam o processo digestivo?

Os alimentos mais digeríveis são os integrais, não processados (não industrializados) e que não sobrecarregam o sistema digestivo, assim o estômago não precisa produzir altos níveis de ácidos para digerí-los. Alimentos processados, gordurosos e a carne vermelha, por exemplo, são difíceis de serem digeridos.
Opte pelos alimentos “leves” como os cereais e derivados integrais (pão, arroz, massa, etc.), frutas e legumes, pois além de serem pobres em gordura, são muito ricos em fibras.
Os alimentos cozidos no vapor, no forno ou fervidos facilitam a digestão quando comparados às frituras e aos alimentos empanados.

Quais dificultam? Alimentos gordurosos, por exemplo, são digeridos mais lentamente?

Existem alimentos mais fáceis de digerir que outros. Quanto mais pesada (mais rica em gorduras) for uma refeição mais dificultada será a sua digestão. As refeições pesadas exigem uma maior produção de suco gástrico para a digestão, o que pode provocar dilatação e ardor no estômago, formação de gases, sensação incômoda de peso, sonolência, etc…
Os alimentos recheados, carnes gordas, pratos muito condimentados, doçaria tradicional e bolos de pastelaria industrial, molhos e alimentos confeccionados sob a forma de frituras são de mais difícil digestão.

Como saber se a digestão está funcionando corretamente? Em condições normais, como deve ser o processo de evacuação?

Na digestão normal, o intestino funciona quando o bolo alimentar passa por ele. Em seguida ele se esvazia e entra em repouso.Poderá ser feito um teste com espinafre. É só ficar 2 dias sem ingerir verdura  escura e no dia do teste comer espinafre ou qualquer outra.Em 18 horas suas      fezes sairão esverdeadas, demonstrando que a verdura foi eliminada no tempo correto no caso do sistema digestório estar funcionando corretamente.
Considera-se hábito intestinal normal de uma a três evacuações por dia ,no mínimo três vezes por semana, sem dificuldade. Tem relação direta com a quantidade e qualidade dos alimentos ingeridos, principalmente  fibras e líquidos ingerido.

Quais são os indicativos de que a digestão não está indo bem? Qual é o momento de buscar ajuda profissional?

Se houver sensação de estômago cheio, enjôos,vômitos, eructações(arrotos), dores abdominais, azia, queimação, sensação de gases presos, a digestão não está indo bem.
Se os sintomas desaparecerem com a simples mudança de hábitos, não há problema maior. Se permanecerem por mais de uma semana, tiver dores abdominais fortes, persistência dos vômitos, fezes pretas, perda de peso, etc, procure assistência médica.


Além da alimentação que outros fatores podem influenciar na digestão?

Comer depressa demais sem mastigar direito os alimentos ;
A quantidade é outro fator que intervém na digestão;
Comer sem fome ou em excesso são fatores desequilibrantes na digestão, pois o corpo não assimila o que introduzimos em excesso.

Hábitos como deitar após as refeições ou praticar exercícios de estômago cheio podem prejudicar a digestão? De que maneira?


Temos que lembrar o tempo de digestão dos alimentos:
Frutas:30 minutos; Carboidratos(batata,raízes,cereais,massas,farináceos):2 a 3 horas; Proteínas(carnes,ovos,leite e derivados,leguminosas):3 a 4 horas; Gorduras:4 a 5 horas
A prática de atividade física desvia o fluxo sanguíneo para a musculatura fazendo com que o esvaziamento gástrico seja mais lento, podendo levar a um desconforto e até dores abdominais. Deitar após as refeições leva ao refluxo gastro-esofágico.

Que atitudes as pessoas podem tomar durante o dia-a-dia, no que diz respeito ao estilo de vida, para terem uma boa digestão?

-Fazer refeições regulares. O ideal são cinco refeições a intervalos também regulares (café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar);
-Valorizar o ato de se alimentar. As culturas orientais, principalmente a japonesa, mantêm postura de tranqüilidade, relaxamento e concentração durante as refeições;
-Mastigar com eficiência, cerca de 20 a 30 vezes cada garfada, lembrando de colocar os talheres na mesa entre cada garfada e pegá-los novamente só depois de mastigar bem e engolir completamente;
-Observar o reflexo de saciedade. É preciso ficar atento e respeitar o próprio limite. A cultura de comer tudo o que se põe no prato não costuma respeitar este princípio, de modo que é melhor se servir com menos e depois repetir, se for o caso;
-Fazer com que a refeição dure pelo menos 20 minutos;
-Lembrar-se que o consumo de 1,5 l a 2 l de água por dia é “obrigatório” . O chá e as infusões também facilitam a digestão;
-Preservar o bom funcionamento de seu intestino com o recurso a alguns tipos de fibras alimentares, como por exemplo, as fibras que se encontram naturalmente em frutas, verduras, leguminosas ,etc. O correto é ingerir de 25 a 30g de fibras ao dia;
-Selecionar o que se come,  priorizando o que é mais saudável.

Outras considerações

Se tiver propensão para flatulência, prefira os frutos e legumes cozidos, de forma a melhorar a tolerância do seu organismo às fibras desses alimentos.
Lembre-se de uma regra básica:


CAFÉ DA MANHÃ COMO UM REI, ALMOÇO COMO UM PRÍNCIPE, JANTAR COMO UM PLEBEU

Dra.Marilia Gaboardi

Membro Titular da Federação Brasileira de Gastroenterologia